IPCA
-0.04 Set.2019
Topo
Tudo Golpe

Tudo Golpe

Categorias

Histórico

Golpistas se passam por clientes e trocam maquininha de cartão das lojas

Flávio Tasinaffo

13/09/2019 04h00

São idênticas, mas uma é do golpista e pode estar no seu estabelecimento.

 

Desde 2017, estabelecimentos comerciais de todo o país têm sido alvos de golpistas no chamado "golpe da troca da maquininha". Postos de gasolina são os que mais sofrem ataques, principalmente quando os funcionários têm o hábito de entregar o equipamento aos clientes que permanecem dentro do carro.

Os locais não são escolhidos ao acaso. Há uma avaliação prévia e bastante minuciosa por parte dos golpistas em relação ao movimento do estabelecimento, momentos em que a atenção dos funcionários fica mais comprometida, os horários das trocas de turno e se há sistemas de monitoramento e segurança.

Feito o mapeamento do comércio e identificadas fragilidades que o tornam um alvo em potencial, os golpistas criam um cadastro na mesma empresa em que o comerciante adquiriu suas maquininhas e compram um equipamento do mesmo modelo. Assim, a troca poderá ser realizada sem que ninguém perceba.

O golpe da troca da maquininha é aplicado de três formas:

  • O golpista, passando-se por cliente, aproveita o momento em que o funcionário do estabelecimento lhe entrega o equipamento para que a senha seja digitada. Se ele estiver dentro do carro ou protegido por um balcão, terá mais facilidade para realizar a substituição.
  • O golpista consegue aliciar um funcionário para que este o ajude na troca.
  • O golpista se passa por um funcionário da empresa que comercializa as maquininhas e vai até o estabelecimento para fazer suposta manutenção ou troca do equipamento para atualizá-lo.

A Polícia Civil de São Paulo prendeu, recentemente, uma quadrilha especializada em aplicar o golpe da troca da maquininha. Os golpistas fingiam que trabalhavam para a empresa que administra os equipamentos. A Polícia Civil de Foz do Iguaçu também emitiu um alerta depois que uma empresária foi abordada por um golpista e desconfiou da situação.

O que os golpistas ganham caso consigam efetuar a troca?

Tudo o que for vendido a partir do momento da troca da maquininha será creditado na conta dos criminosos que, até que o golpe seja percebido, farão saques diários.

O golpe é usualmente aplicado às sextas-feiras ou logo no começo da madrugada de sábado, pois assim a maquininha passa todo o final de semana "trabalhando" para os golpistas.

Se você tem um negócio, veja sete dicas para não cair no golpe da troca da maquininha:

  1. Personalize sua maquininha com adesivos, etiquetas ou qualquer caracterização que seja difícil de copiar.
  2. Utilize um cordão para fixar o equipamento ao caixa.
  3. Se não for possível fixar o equipamento, então prefira mantê-lo em suas mãos e na direção do cliente para que ele digite a senha.
  4. Liste todos os equipamentos do estabelecimento relacionando os números de série que ficam na parte de trás das maquininhas e faça conferências diárias.
  5. Prefira adquirir equipamentos que mostrem no visor a razão social e o CNPJ do seu estabelecimento, o que lhe possibilitará ter mais estes dois dados para conferência e dificultará a ação de golpistas.
  6. Caso alguém se apresente como funcionário da empresa que cuida da sua maquininha, não hesite. Peça a identificação, o que inclui, não só o crachá, muito simples de ser confeccionado, mas também um documento com foto. Em seguida, ligue imediatamente para a empresa e confirme se ele realmente é funcionário e qual é o motivo da sua visita. Não se esqueça de pedir o protocolo de atendimento.
  7. Treine seus funcionários para que também realizem todos estes procedimentos de segurança.

Estes cuidados irão protegê-lo contra o golpe da troca da maquininha e evitar um prejuízo financeiro que pode ser significativo para o seu negócio.

Se perceber que foi vítima deste golpe, ligue imediatamente para a empresa que administra sua maquininha, peça o bloqueio do equipamento e do cadastro do golpista e registre um boletim de ocorrência.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre o Autor

Flávio Tasinaffo é advogado, pós-graduado em Direito Penal e Processual Penal Econômico e tem 35 anos de experiência no segmento de prevenção à fraudes

Sobre o Blog

O blog Tudo Golpe é a extensão de um projeto criado por Flávio Tasinaffo (http://tudogolpe.com.br/) com o objetivo de alertar e ajudar as pessoas a não caírem em golpes rotineiros.